Erros dos Dicionários

Autores

  • José Augusto Carvalho Doutor em Letras (USP)

DOI:

https://doi.org/10.26893/RM31/jan/jun/2020/59-68

Palavras-chave:

Dicionários, História do dicionário, Nova ortografia da Língua Portuguesa

Resumo

Após algumas considerações históricas sobre o mais famoso e utilizado dicionário de língua portuguesa no Brasil, o Novo Dicionário Aurélio, este artigo pretende mostrar algumas lacunas, imprecisões e contradições da obra, depois que passou a ser difundida pela família do autor, muitas vezes sem a necessária revisão, como, por exemplo, no verbete ponto e vírgula, que se escrevia com hifens, o que levou o dicionarista a optar por um plural de palavra composta que não se justifica depois da nova ortografia que suprimiu os hifens transformando o substantivo composto em dois substantivos. Este artigo também menciona discussões entre o editor e consulentes que analisaram a obra comentando-lhe as inadequações. O artigo termina condenando a ideia de se incluírem palavras de uso recente ao acervo do Dicionário, sem a necessária análise sociolinguística dessas inclusões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

30/11/2020

Como Citar

Carvalho, J. A. (2020). Erros dos Dicionários. Revista Mosaicum, 16(31), 59–68. https://doi.org/10.26893/RM31/jan/jun/2020/59-68

Edição

Seção

Artigo(s) de opinião

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)